Rebeldes líbios se reorganizam após derrota em batalha

Os rebeldes da Líbia tentam se reagrupar hoje, após terem sido expulsos ontem da cidade de Bani Walid, que permanece leal ao coronel Muamar Kadafi. O recuo acalmou a situação em um dos campos de batalha, enquanto comandantes insurgentes que lideram uma segunda ofensiva tentam abrir um novo front.

AE, Agência Estado

17 Setembro 2011 | 11h08

Os rebeldes foram repelidos ontem por francoatiradores e bombardeios de unidades leais a Kadafi que mantém posições estratégicas no vale onde fica a entrada da cidade. Enquanto isso, dezenas de famílias aproveitam a calmaria temporária para fugir de Bani Walid. Ismail Mohammed, um servidor público de 50 anos que deixou a cidade, disse que as forças de Kadafi no local são "muito fortes".

A grande resistência em Bani Walid e Sirta mostra que as forças de Kadafi ainda têm poder de fogo e indica que o novo regime talvez não consiga se livrar tão facilmente dos redutos do ex-ditador. Dentro de Bani Walid, uma estação de rádio supostamente ligada a um dos maiores defensores de Kadafi divulga uma série de apelos para que a população resista e chama os revolucionários de traidores que não respeitam as leis islâmicas.

Hoje, os comandantes rebeldes afirmaram que estão próximos de um acordo para a rendição da resistência na região de Harawa, cerca de 80 quilômetros a oeste de Sirta. Caso o acordo se concretize, os insurgentes terão um novo caminho para chegar até a cidade. Mas o porta-voz de Kadafi, Moussa Ibrahim, alega que seus homens não correm o risco de perder o controle de Sirta. "Nós temos a capacidade de manter essa resistência por vários meses", disse em um telefonema para a emissora de TV síria Al-Rai. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
LíbiarebeldesderrotaBani Walid

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.