Rebeldes maoistas matam 10 soldados no leste da Índia

Rebeldes maoistas detonaram hoje minas terrestres num posto de segurança avançado no leste da Índia, além de incendiarem o local, matando dez soldados. Os rebeldes também roubaram armas do campo localizado na vila de Shilda, no distrito de West Midnapore, Estado de Bengala Ocidental, segundo o policial Bhupinder Singh. Há poucos detalhes disponíveis sobre o incidente, ocorrido numa área bastante remota. Shilda fica a cerca de 170 quilômetros a sudeste da capital do Estado, Calcutá.

AE, Agencia Estado

15 de fevereiro de 2010 | 17h56

Kishenji, um dos principais líderes maoistas da região, assumiu a responsabilidade pelo ataque em ligação telefônica a uma emissora de televisão. Ele disse que a ação foi uma retaliação pelas recentes medidas tomadas contra os rebeldes.

Inspirados pelo líder revolucionário chinês Mao Tsé-tung, os rebeldes têm lutado há mais de três décadas por terras e empregos para os agricultores e pobres. Eles atuam em mais de 220 dos mais de 600 distritos dos 20 Estados indianos. Nos últimos meses, o governo da Índia tem sido mais duro com as guerrilhas, afirmando que está pronto para discutir suas exigências somente se elas deixarem os meios violentos.

Cerca de 2 mil pessoas, entre elas policiais, militantes e civis, foram mortas por causa da violência nos últimos anos. Os rebeldes são também conhecidos como Naxals ou Naxalites, em homenagem a Naxalbari, a vila de Bengala Ocidental onde o movimento nasceu em 1967. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Índiarebeldes maoistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.