Rebeldes maoístas matam 72 soldados na Índia

Governo lançou ofensiva contra guerrilheiros que querem regime comunista em vasta área rural do país.

BBC Brasil, BBC

06 de abril de 2010 | 09h57

Rebeldes maoístas mataram pelo menos 72 integrantes de forças paramilitares da Índia em uma emboscada no Estado de Chhattisgarh, na região centro-leste do país.

A patrulha, com cerca de uma centena de integrantes, foi atacada em uma área remota e de densa vegetação no distrito de Dantewada. Os rebeldes também investiram contra equipes de resgate e helicópteros foram enviados para evacuar a área.

"Os feridos foram retirados de helicóptero", disse um porta-voz da Força da Reserva Central da Polícia (CRPF), RK Vij.

Segundo ele, já foram retirados 67 corpos de militares da área.

O governo da Índia qualificou os guerrilheiros maoístas como a principal ameaça à segurança interna do país, e iniciou uma grande operação contra eles, enviado mais de 50 mil soldados e policiais para vários estados indianos.

Milhares de pessoas morreram durante a campanha de 20 anos realizada pelos rebeldes, que defendem a implantação de um regime comunista em uma larga faixa da zona rural da Índia conhecida como "corredor vermelho".

O correspondente da BBC em Delhi, Sanjoy Majumder, disse que Chhattisgarh é um grande reduto dos maoístas, que controlam vastas áreas da região central e leste da Índia.

Esta emboscada ocorre dois dias depois que pelo menos 10 policiais morreram e 10 outros ficaram feridos em um ataque a um ônibus que transportava policiais no Estado de Orissa, no leste do país.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
indiamaoistachhattisgarhemboscada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.