Rebeldes mataram cem soldados em 2011 nas Filipinas

O exército das Filipinas afirmou que guerrilhas comunistas mataram cerca de 100 soldados do governo e policiais e realizaram 447 ataques no ano passado, apesar do contínuo declínio das ações rebeldes, que já duram décadas.

AE, Agência Estado

22 de janeiro de 2012 | 12h12

O porta-voz militar Coronel Arnulfo Burgos disse neste domingo que os ataques das guerrilhas do Novo Exército do Povo incluíram 21 assaltos a empresas de mineração, plantações de banana e outros negócios.

Os rebeldes obtiveram cerca de US$ 7 milhões por meio da prática de extorsão em 2011. Burgos avalia que esse grande montante e o elevado número de assaltos reflete um apoio menor das comunidades às guerrilhas. Os rebeldes maoistas não comentaram os dados. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Filipinasguerrilhas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.