Rebeldes nigerianos atacam plataforma de petróleo da Shell

Companhia suspende extração de 200 mil barris após ofensiva em mar aberto liderada por militantes separatistas

Agência Estado e Associated Press,

19 de junho de 2008 | 11h29

O mais poderoso grupo rebelde do delta do Rio Níger afirmou nesta quinta-feira, 19, ter atacado uma plataforma marítima de petróleo. A companhia Royal Dutch Shell confirmou o ataque e anunciou a suspensão da produção na região por causa do ataque.   Um líder do Movimento para a Emancipação do Delta do Níger afirmou à Associated Press que militantes do grupo viajaram a bordo de botes em mar aberto para atacar a plataforma de petróleo de Bonga, a 135 quilômetros da costa. Sob condição de anonimato, o líder disse que os rebeldes tentaram entrar em uma central de processamento de dados que pretendiam destruir, mas não conseguiram acesso ao local.   "O alvo foi deliberadamente escolhido para desfazer qualquer dúvida quanto à possibilidade de as plataformas marítimas de exploração de petróleo estarem fora de nosso alcance", declarou o grupo por meio de um comunicado divulgado logo a seguir. "As companhias petrolíferas e os colaboradores delas não têm onde se esconder para conduzir suas atividades nefastas", prosseguiu o Movimento para a Emancipação do Delta do Níger.   Olav Ljosne, porta-voz da Royal Dutch Shell, não divulgou detalhes do ataque. Segundo ele, a exploração no local foi suspensa. O campo explorado pela plataforma Bonga produz 200 mil barris de petróleo por dia, o que representa quase 10% de toda a capacidade atual de produção da Nigéria.

Mais conteúdo sobre:
Nigéria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.