Rebeldes no Chade tomam palácio presidencial

Presidente permanece na sede do governo; grupo diz que busca distribuição de renda no país

Efe, CAIRO

02 de fevereiro de 2008 | 09h43

CAIRO - Os combates entre as forças de segurança e os rebeldes da Frente Popular do Chade (FPCh) chegaram ao palácio presidencial neste sábado, 2, na capital Ndjamena, segundo a rede de TV Al Jazira.

Os rebeldes, que o governo diz serem apoiados pelo Sudão, chegaram à capital vindos do leste do país, onde, aparentemente, já controlam cinco grandes províncias. Eles estão reunidos no chamado Comando Militar Unificado (CMU), uma aliança de grupos que diz buscar uma melhor distribuição de poder no país.

A emissora, um dos poucos veículos de comunicação com um correspondente no país, informou que os combates se concentram na sede da Presidência e no quartel-general das Forças Armadas.

Enquanto o correspondente fazia sua mais recente transmissão sobre o conflito, era possível ouvir ao fundo uma intensa troca de tiros no palácio presidencial.

A rádio oficial do Chade interrompeu suas transmissões na manhã de hoje, sem dar explicações, e não há nenhuma informação oficial sobre os combates.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.