Reuters
Reuters

Rebeldes no Iêmen atacam cidade saudita e matam três

Os projéteis atingiram uma escolha de meninas e um hospital em Najran, que fica a apenas 3km da fronteira com o Iêmen

O Estado de S. Paulo

05 de maio de 2015 | 19h08

SANAA - Combatentes houthis, do Iêmen, dispararam morteiros e foguetes contra uma cidade fronteiriça da Arábia Saudita nesta terça-feira,5, pela primeira vez desde que uma coalizão liderada pelos sauditas começou uma campanha militar contra eles, no fim de março. O ataque matou três civis.

Os projéteis atingiram uma escolha de meninas e um hospital em Najran, que fica a apenas 3km da fronteira com o Iêmen, disse o brigadeiro-general Ahmed Asseri, levando autoridades a fechar todas as escolas na área.

O ataque ocorreu depois da divulgação de um comunicado de Riad, na segunda-feira, de que estava considerando um cessar-fogo para permitir ajuda humanitária no país vizinho e um pedido do presidente iemenita, Abd-Rabbu Mansour Hadi, exilado na Arábia Saudita, para que haja conversas entre facções políticas no Iêmen. 

"Houve disparos aleatórios de morteiros e Katyushas contra um distrito residencial. Infelizmente esses disparos acertaram uma escola de meninas, um hospital e algumas casas", disse Asseri em entrevista por telefone à agência Reuters."Não vamos deixar esta ação passar sem reação. A Força Aérea e outros componentes da coalizão vão lidar com a fonte do ataque."               

A Organização das Nações Unidas afirmou nesta terça-feira que o conflito no Iêmen havia causado a morte de pelo menos 646 civis desde que os ataques aéreos da coalizão começaram no dia 26 de março, incluindo 131 crianças. Mais de 1.346 civis foram feridos. / REUTERS e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
IêmenArábia SauditaHouthies

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.