Rebeldes realizam segundo dia de ofensiva contra Kadafi

Forças de Kadafi estão reagrupando para impedir avanço de grupo pelo oeste

AE, Agência Estado

07 de julho de 2011 | 12h34

BRUXELAS - Rebeldes líbios parecem tomar a iniciativa no oeste da Líbia, porém as forças de Muamar Kadafi estão se reagrupando e rearmando, afirmou nesta quinta-feira a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), no segundo dia de uma ofensiva da oposição ao regime.

 

Veja também:

especialLinha do Tempo: 40 anos da ditadura na Líbia

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia

 

As forças rebeldes e oficiais se enfrentam dentro e no entorno das cidades do oeste de Kikla, Nalut, Zintan e Yefren, todas sob controle da oposição, disse o comandante Mike Bracken.

"As forças anti-Kadafi buscam ter a iniciativa e são capazes de lançar ataques bem sucedidos contra as forças pró-Kadafi", informou Bracken, falando em videoconferência do comando de operações da Otan em Nápoles, na Itália. "O progresso é significativo e a Otan verá esta missão cumprida", disse ele. "Nossa medida de sucesso é a retirada das ameaças ao povo líbio."

Aviões de combate da Otan destruíram mais de 60 alvos militares do regime, em Berber e nas montanhas de Nafusa, ao longo da semana passada, segundo ele. Porém o militar disse que as forças de Kadafi ainda controlam duas cidades a oeste de Trípoli, Zawiyah e Zuwarah, e estão "se rearmando, reagrupando e combatendo em lugares como Kikla, Misurata e Dafnia".

Bracken afirmou que Kadafi já provou ter a capacidade de seguir enviando suas forças e atacando civis de modo indiscriminado. "Se a Otan se retirasse, a intenção de Kadafi de ferir civis ia seguir vigorando e milhares de vidas estariam em risco", concluiu o comandante. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaataquesrebeldesofensivaKadafi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.