Rebeldes reivindicam morte de informantes iraquianos

Ativistas rebeldes espalharam panfletos pelas mesquitas de Ramadi, uma cidade situada 80 quilômetros a oeste de Bagdá, reivindicando o assassinato de informantes iraquianos e ameaçando matar qualquer um que forneça aos Estados Unidos informações sobre os insurgentes. Os panfletos continham a assinatura de dois grupos - as Brigadas Saladino e as Brigadas Terremoto da Guerra Santa - que assumiram a responsabilidade por ataques promovidos no ano passado contra a polícia iraquiana. Eles listaram os nomes de sete pessoas mortas durante as últimas três semanas, inclusive um policial. "Ficou provado que essas pessoas repassaram informações e espionaram em favor dos ocupantes americanos, dando a eles informações sobre nossos guerreiros sagrados", dizia o panfleto."A morte é o destino de todo informante e na vida após a morte eles encontrarão uma torturante agonia", alertava o panfleto. "Nós sabemos a identidade de todos aqueles ligados aos americanos, todos aqueles que dão informações sobre os guerreiros sagrados ou revelam seus paradeiros, e nós os caçaremos um após o outro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.