REUTERS/Abdalrhman Ismail
REUTERS/Abdalrhman Ismail

Rebeldes retomam controle de vilarejo próximo a Alepo e confrontos matam 73

Ataque foi realizado por uma aliança de insurgentes islâmicos conhecida como Jaish al-Fatah, que inclui a Frente Al-Nusra, ligada à Al-Qaeda

O Estado de S. Paulo

06 Maio 2016 | 10h04

BEIRUTE - Rebeldes tomaram um vilarejo das mãos de forças do governo nas redondezas de Alepo durante a noite, disseram fontes rebeldes e um grupo monitor nesta sexta-feira, 6, em uma conquista importante perto da cidade síria onde os EUA e a Rússia tentam reduzir os confrontos por meio de uma trégua.

O Observatório Sírio para Direitos Humanos (OSDH) relatou que 73 pessoas foram mortas na batalha por Khan Touman, a cerca de 15 km de Alepo, em um local próximo à rodovia Damasco-Alepo.

Enquanto diversas fontes rebeldes disseram que a cidade foi capturada, uma fonte do Exército sírio negou a perda de Khan Touman.

O ataque foi realizado por uma aliança de insurgentes islâmicos conhecida como Jaish al-Fatah, que inclui a Frente Al-Nusra, ligada à Al-Qaeda. O grupo rejeitou esforços diplomáticos para pausar a guerra e promover conversas de paz.

Os EUA e Rússia intermediaram nesta semana um cessar-fogo na cidade de Alepo, onde cerca de 300 pessoas foram mortas nas últimas duas semanas em áreas do governo e dos rebeldes, como resultado de ataques aéreos e troca de tiros.

O Observatório relatou que entre os mortos 43 eram rebeldes e 30 de forças do governo nas batalhas entre quinta e sexta.

O OSDH acrescentou ainda que pelo menos 12 pessoas morreram na quinta-feira, entre elas 5 civis, em um bombardeio de aviões de guerra na localidade de Um al Karamil, ao sul de Alepo, cujo alvo seria o quartel de uma facção islâmica. /Reuters e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.