Reuters
Reuters

Rebeldes se retiram de bairro de Alepo perante ofensiva do regime sírio

Um porta-voz do ELS assegurou que combatentes deixaram local por 'motivos táticos'

Efe,

09 de agosto de 2012 | 10h32

CAIRO - Os rebeldes do Exército Livre Sírio (ELS) se retiraram nesta quinta-feira, 9, do bairro de Salah ad-Din, em Alepo, diante da ofensiva lançada pelas tropas governamentais para retomar o controle da área.

Veja também:

linkForças do governo sírio deixam distrito em Alepo, dizem rebeldes

linkSíria lança ofensiva terrestre contra rebeldes em Alepo

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

Um porta-voz do ELS, o coronel desertor Qasem Saadedin, assegurou que seus combatentes se retiraram do local por "motivos táticos", sem entrar em maiores detalhes.

Em Alepo, a ativista Wed Al-Hayat relatou que a retirada dos insurgentes ocorreu por falta de munição para enfrentar os homens leais ao regime do presidente Bashar al Assad. "Há poucas brigadas do Exército Livre Sírio (em Salah ad-Din) e os bombardeios são muito intensos", acrescentou Al-Hayat, que destacou a presença de um alto número de franco-atiradores na região.

O bairro de Salah ad-Din está situado no sudoeste da cidade de Alepo, centro econômico da Síria que nas últimas semanas foi alvo de fortes confrontos entre as tropas do regime e os rebeldes. O Exército sírio mantém desde ontem uma grande ofensiva sobre Alepo, submetida a intensos bombardeios, e particularmente sobre o citado bairro, onde os rebeldes estavam entrincheirados.

A televisão estatal síria informou que as forças governamentais mataram dezenas de supostos terroristas - como o regime denomina os opositores armados- e os expulsaram dos bairros de Asila e Bab el Nasr, em Alepo. Além disso, as tropas enfrentaram os grupos armados no bairro de Hanano, na mesma cidade, e causaram a morte de vários deles, embora outros tenham conseguido escapar, segundo a televisão.

O canal assinalou que as forças do regime acabaram com a presença de "terroristas" na área de Jan al Uazir, em Alepo, onde tinham instalado uma sede desde a que atacar. A ofensiva do Exército sírio também se localizou em outras províncias como Deraa, Hama, Deir al Zur e nos arredores de Damasco, palcos de diferentes atos de violência que no total causaram a morte de 50 pessoas na Síria, segundo os Comitês.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.