Rodrigo Abd/AP
Rodrigo Abd/AP

Rebeldes sírios afirmam ter matado 250 membros das forças do regime

Ataque teria sido planejado pois forças do governo se preparavam para matar 600 rebeldes

Efe,

12 de março de 2012 | 15h53

CAIRO - O Exército Livre Sírio (ELS) afirmou nesta segunda-feira, 12, ter matado 250 membros das forças do regime de Bashar al-Assad na localidade de Rankus, nos arredores de Damasco.

 

Veja também:
especialMAPA: 
A revolta que abalou o Oriente Médio
mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: Imagens da revolução
tabela ESPECIAL: Um ano de Primavera Árabe 

O "número dois" do ELS, o coronel Malek al-Kurdi, explicou à Agência Efe que a operação ocorreu no domingo à noite e que entre as vítimas há agentes dos serviços secretos sírios, da polícia e membros dos "shabiha" (milicianos leais ao regime).

Kurdi afirmou que o confronto foi uma "batalha rápida" e que 70 integrantes do ELS participaram do ataque, divididos em vários grupos, que atuaram tanto dentro da cidade como nos arredores de Rankus, localizada a cerca de 40 quilômetros ao norte de Damasco.

No confronto, os membros do ELS usaram metralhadoras, lança-granadas e artefatos explosivos, explicou por telefone o dirigente do grupo rebelde, que se encontra foragido na Turquia.

O ELS lançou os explosivos num comboio de veículos que transportava as forças governamentais, que tentaram fugir do ataque mas foram interceptados.

Kurdi explicou que o ELS planejou o ataque após receber informações de que o regime se preparava para mandar 600 agentes para Rankus.

As informações coincidem com a descoberta de 45 corpos de mulheres e crianças em Homs, massacre que os rebeldes acusam ter sido realizado pelo regime, e que as autoridades afirmam que foi obra de "grupos terroristas". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.