AFP
AFP

Rebeldes sírios bombardeiam Alepo após perderem controle da cidade

Segundo Observatório Sírio dos Direitos Humanos, três pessoas morreram; presidente russo parabeniza Assad por retomada do local

O Estado de S. Paulo

23 Dezembro 2016 | 17h51

ALEPO - Rebeldes sírios bombardearam Alepo nesta sexta-feira, 23, matando três pessoas, informou a televisão estatal síria, um dia depois de o governo de Bahsar Assad anunciar a retomada do controle da cidade, que estava nas mãos dos insurgentes desde o início do conflito, em 2011. 

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, um grupo de monitoramento sediado no Reino Unido, disse que cerca de 10 projéteis caíram no bairro de Al-Hamdaniya, no sudoeste de Alepo. Os rebeldes que almejam derrubar o presidente Assad atingem com frequência as áreas de Alepo controladas pelo governo, ou seja, a região oeste da cidade – os bairros do leste eram aqueles controlados pela oposição.

Os últimos rebeldes e civis deixaram o local na quinta-feira rumo ao interior de Alepo, em obediência a um acordo de cessar-fogo durante o qual o Comitê Internacional da Cruz Vermelha disse que cerca de 35 mil pessoas, a maioria civis, deixou a cidade. Muitos vivem agora como refugiados em áreas a oeste e ao sul de Alepo, inclusive na província de Idlib.

Na manhã desta sexta-feira, o Exército sírio e seus aliados fizeram buscas em bairros abandonados pelos rebeldes em busca de minas que tivessem sido deixadas propositalmente para trás, informou o Observatório. 

Política. O presidente russo, Vladimir Putin, parabenizou Assad nesta sexta-feira pela retomada da cidade, ação que considerou muito importante para o fim da guerra síria, informou o Kremlin. 

Putin disse a Assad que o foco agora deve ser tentar obter um acordo para resolver a crise no país, que deixou mais de 310 mil mortos em cinco anos. /AFP e REUTERS

 

Mais conteúdo sobre:
Síria Alepo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.