Rebeldes sírios mantém condições sobre reféns

As Filipinas disseram nesta sexta-feira que os rebeldes que estão mantendo 21 agentes filipinos da ONU como reféns nas Colinas de Golã estão insistindo para que as tropas sírias deixem a área antes de liberar os prisioneiros.

AE, Agência Estado

08 de março de 2013 | 02h21

A recusa dos rebeldes em chegar a um acordo havia diminuído as esperanças de que os mantenedores da paz da ONU poderiam ser liberados rapidamente, e forçou o governo a intensificar os seus esforços de negociação, afirmou o porta-voz de Relações Exteriores das Filipinas, Raul Hernandez.

Os rebeldes querem que as tropas sírias se desloquem a 20 quilômetros de distância de Jamla, uma área em cessar-fogo da região de Golã, antes de eles libertarem os filipinos, disse o porta-voz. "Essa é a principal reivindicação do grupo rebelde."

O governo filipino já tinha recebido informações que aumentaram as esperanças de que os 21 seriam soltos na sexta-feira. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FILIPINASSÍRIAVIOLÊNCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.