Rebeldes tâmeis fazem ataque suicida no Sri Lanka

Supostos rebeldes tâmeis Tigres para a Libertação da Pátria Tâmil (LTTE), disfarçados de pescadores, explodiram dois de seus três barcos durante um ataque suicida na cidade de Galle, no sul do Sri Lanka. Todos os rebeldes foram mortos, mas ainda não está claro quantos insurgentes estavam nas embarcações, afirmou um porta-voz do Ministério da Defesa do país. Pelo menos um fuzileiro foi vítima da ação.O ataque aconteceu por volta das 7h45 (1h15 de Brasília). Os atacantes tentaram invadir as instalações em três lanchas, disfarçados de pescadores, informou o porta-voz militar Prasad Samarsinghe.Os soldados atiraram numa das lanchas, que foi destruída, depois de seus ocupantes ignorarem a ordem de parar. As outras duas entraram na base naval, onde atacaram duas embarcações e causaramsérios danos, segundo o porta-voz.Ao mesmo tempo, um grupo de guerrilheiros invadia a base por terra e atirava nos militares, que responderam ao ataque, acrescentou Samarsinghe. Pelo menos um fuzileiro morreu e três foram feridos. P.K. Wijewickrema, médico do Hospital Galle, afirmou que 12 marinheiros e 26 civis foram atendidos com ferimentos, depois do ataque suicida.Segundo o site pró guerrilha "Tamilnet", os feridos seriam pelo menos 15. Galle fica 100 quilômetros ao sul de Colombo, longe do reduto tradicional dos tâmeis, nas zonas norte e leste da ilha. O ataque aconteceu menos de 48 horas depois do atentado suicida que deixou cerca de 100 soldados mortos.O Exército respondeu ao atentado com uma dura ofensiva aérea contra bases tâmeis. A escalada de violência é um novo golpe contra as expectativas de conversas de paz entre o Governo e o LTTE, previstas para os dias 28 e 29, em Genebra.O ataca deve causar estrago nas negociações de paz entre os rebeldes e o governo. Esta semana, os dois lados tinham se comprometido ao diálogo. Os mediadores para a paz da Noruega, Jon HanssenBauer, e Japão, Yasushi Akashi, já estão na ilha. Nesta quinta-feira deverá chegar o subsecretário de Estado americano para a Ásia Central e do Sul,Richard Boucher.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.