Goran Tomasevic/Reuters
Goran Tomasevic/Reuters

Rebeldes têm 'tanques e armamentos pesados', diz ONU

'Grupo de Apoio Sírio' recebeu autorização do governo dos EUA para ajudar os insurgentes

estadão.com.br,

01 de agosto de 2012 | 16h06

ALEPO - A missão da ONU na Síria confirmou nesta quarta-feira, 1, que os rebeldes em Alepo têm "tanques" e "armamentos pesados", explicou Martin Nesirky, porta-voz das Nações Unidas.

Veja também:

linkAssad pede que forças intensifiquem luta contra os rebeldes sírios

link'Cobertura na Síria está longe de ser ideal', diz enviado do 'Estado'

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

"Os observadores confirmaram a informação que a oposição tem armamentos pesados, incluindo tanques, em Alepo", cidade onde rebeldes e o exército do presidente Bashar al Asad se enfrentam em uma "batalha crucial" há dias, disse Nesirky à imprensa.

Apoio

O "Grupo de Apoio Sírio", com sede nos Estados Unidos, anunciou hoje que recebeu autorização do governo americano para dar ajuda financeira ao Exército Livre Sírio (ELS) que luta pela derrocada do presidente Bashar al Assad. Em sua página na internet, o grupo indicou que recebeu uma autorização do Departamento do Tesouro para apoiar os rebeldes sírios "mediante ajuda financeira".

Por sua parte, um porta-voz do Departamento do Tesouro, em declarações ao jornal "The Wall Street Journal", afirmou que deste modo o "Grupo de Apoio Sírio" pode "entrar em atividades financeiras até então proibidas com o ELS".

A autorização não permite que o grupo envie equipamentos militares, mas apenas enviar ajuda financeira ao ELS. "O aspecto financeiro é o mais importante, e é um campo muito aberto", disse ao mesmo jornal Brian Sayers, identificado como diretor de relações governamentais do grupo.

O "Grupo de Apoio Sírio" se descreve como "uma organização sem fins lucrativos, com sede nos Estados Unidos, comprometida com o apoio por meios legais ao Exército Livre Sírio". "Estamos comprometidos com uma Síria pluralista, civil e democrática na qual todos, militares e governo incluídos, estejam sujeitos ao império da lei", acrescenta a declaração.

O site não identifica os responsáveis do "Grupo de Apoio Sírio", mas divulga um endereço em Washington e um número de telefone para contato.

Com Agências de Notícias

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.