Rebeldes tentam destruir patrimônio da Unesco no Mali

Um morador de Timbuktu, no norte do Mali, afirmou que grupos islâmicos querem controlar a cidade e estão tentando destruir tumbas classificadas como patrimônio histórico da humanidade pela Organização Educacional, Científica e Cultural das Nações Unidas (Unesco). Ali Yattara disse neste sábado que os rebeldes começaram a atacar tumbas de santos com pás. Ele acrescentou que a ação é uma resposta ao pedido da Unesco, na semana passada, de que a região fosse colocada na lista "em perigo" da organização.

AE, Agência Estado

30 de junho de 2012 | 11h48

A Unesco afirmou que os dois lugares em questão - Timbuktu e a tumba de Askia, ambos no Mali - estão ameaçados por conflitos entre grupos rebeldes que dominaram o norte do país. Combatentes islâmicos ligados à Al-Qaeda declararam que controlam a metade norte do Mali, depois de expulsarem o grupo étnico separatista Tuareg. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciarebeldesMali

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.