Rebocador italiano retido na Líbia é libertado

Um rebocador italiano e sua tripulação, que há semanas estavam retidos na Líbia, foram libertados ilesos, informou hoje o Ministério de Relações Exteriores da Itália. A embarcação navega de volta para casa e deve chegar ao país amanhã, de acordo com a empresa napolitana Augusta Offshore SRL, proprietária do navio.

AE, Agência Estado

23 de abril de 2011 | 10h19

O "Asso 22" estava ocupado por militares armados da Líbia desde meados de março, e ficou na maior parte do tempo atracado no porto de Tripoli, capital do país.

A embarcação foi autorizada a partir na noite de ontem e logo fez contato com um navio da marinha italiana que está no Mediterrâneo, como parte das operações da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) na Líbia, informou a companhia. A tripulação - formada por oito italianos, dois indianos e um ucraniano - foi visitada a bordo por médicos italianos e estava em boas condições. Autoridades da Itália disseram que os tripulantes foram autorizados a ligar para suas famílias durante o tempo em que ficaram retidos.

O Ministério de Relações Exteriores da Itália expressou satisfação, sem fornecer qualquer detalhe sobre como a soltura foi conseguida.

Não estava claro se a captura do "Asso 22" fez parte da retaliação líbia pela participação italiana nas operações da Otan na Líbia. A Itália, ex-governante colonial do país árabe, permitiu o uso de suas bases por aeronaves da coalização e também ofereceu seus próprios jatos para uso nas missões. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.