Receita do turismo no Egito cai 41% em 2013

A receita com o turismo no Egito afundou 41 por cento em 2013 ante o ano anterior para 5,9 bilhões de dólares, informou nesta terça-feira o ministro do Turismo, Hisham Zaazou, mais um sinal da pressão sofrida por uma das principais fontes de divisas estrangeiras do Egito.

Reuters

21 de janeiro de 2014 | 12h32

O setor do turismo no país mais populoso do mundo árabe enfrenta dificuldades desde que o autocrata Hosni Mubarak foi deposto por uma revolta popular em 2011.

Após uma pequena melhora em 2012, o turismo levou um novo golpe em 2013, quando centenas de pessoas foram mortas em meio à violência que seguiu a deposição do presidente islamita eleito, Mohamed Mursi, pelo Exército em julho, após protestos em massa contra seu governo.

Zaazou, em uma mensagem de texto à Reuters, confirmou que as receitas do turismo no Egito em 2013 alcançaram 5,9 bilhões de dólares.

"O número está correto e para o ano de 2012 foram 10 bilhões", disse ele.

As receitas do turismo no primeiro trimestre do ano financeiro egípcio, que começa em 1o de julho, caíram para 931,1 milhões de dólares ante os 2,64 bilhões do ano anterior, de acordo com dados do banco central publicados no mês passado.

O número de diárias passadas no Egito por turistas entre julho e setembro caiu 57 por cento para cerca de 15 milhões e a média de gastos dos visitantes também caiu em comparação com o ano anterior, informou o banco central.

(Reportagem de Ehab Farouk)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOTURISMORECEITAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.