Recepção boliviana a Chávez pode ter sido comprada

Moradores do bairro Venezuela da cidade boliviana de Santa Cruz revelaram que a ruidosa e aparentemente espontânea recepção oferecida ao presidente venezuelano Hugo Chávez foi promovida e paga pelo governo de Caracas. A recepção a Chávez, que chegou a Santa Cruz na terça-feira à noite, chamou a atenção pelo numeroso e entusiático acolhimento que o mandatário recebeu no aeroporto internacional e nas imediações do hotel em que está hospedado. "O pessoal da embaixada (da Venezuela) foi buscar-nos no bairro. Eles nos deram bandeiras venezuelanas, contrataram ônibus para nos buscar e disseram que se fôssemos recebê-lo (a Chávez), construiriam para nós uma obra aqui no bairro", disse uma das moradoras que foi ao aeroporto recepcionar o mandatário.Chávez foi a Santa Cruz para participar de uma reunião de cúpula extraordinária da Comunidade Andina de Nações (CAN), formada por Bolívia, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela. Mas as boas-vindas dadas a Chávez foram muito mais calorosas do que as recebidas pelos governantes dos demais países participantes, e nem de longe tão bem organizadas: saudado tanto no aeroporto como na cidade por um coro de vozes, abraços e apertos de mão, um Chávez sorridente distribuiu beijos entre os bebês - carregados pelos pais apesar do adiantado da hora - e abraços entre homens e mulheres.A todos, Chávez prometeu "formar uma grande república sul-americana", como era o desejo do libertador Simón Bolívar, e fomentar a integração econômica da CAN.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.