Recomeça julgamento de Saddam em Bagdá

O Tribunal Penal Supremo iraquiano retomounesta terça-feira o julgamento do ex-ditador iraquiano, Saddam Hussein, e de seis assessores, acusados de genocídio, crimes de guerra e crimes contra a humanidade cometidos contra os curdos no norte do Iraque. O presidente do tribunal, Mohammed Oreibi Khalifa, abriu a sessão, a 16ª do processo, e deverá continuar ouvindo os depoimentos de vítimas da campanha militar al-Anfal, promovida entre1987 e 1988 em territórios curdos do norte do Iraque. Os réus negam as acusações e afirmam que a campanha tinha como objetivo acabar com a colaboração curdo-iraniana que ameaçava asegurança do país. A equipe de defesa boicota o processo em protesto contra a intromissão do governo no julgamento após a destituição do juiz anterior, no mês passado. Ele tinha afirmado que Saddam "não era umditador".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.