Recomeça julgamento de Saddam Hussein

O Tribunal Especial iraquiano retomou nesta quarta-feira o julgamento do ex-presidente do Iraque Saddam Hussein e sete altos membros do antigo regime, acusados de envolvimento no assassinato de 148 pessoas em 1982. Segundo fontes judiciais, a nova sessão do processo começou com um atraso de mais de uma hora, na presença de todos os acusados, incluindo o ex-ditador, e de alguns de seus advogados. Os advogados da acusação devem apresentar ao tribunal novos documentos que, segundo asseguram, provam o envolvimento dos oito acusados no massacre de 148 xiitas após uma tentativa de assassinato de Saddam em 1982, na aldeia Al Duyail, ao norte de Bagdá. A acusação apresentou na terça-feira documentos que, segundo os advogados, mostram que após a suposta tentativa de assassinato de 1982 foram confiscadas terras de centenas de habitantes de Duyail e da vizinha localidade de Balad. Dois advogados da defesa de Saddam e de seus ex-assessores se retiraram da sessão de terça-feira, em protesto pela rejeição do presidente da corte, o juiz curdo Rauf Abderrahman, de um pedido para adiar o julgamento. O processo contra os oito acusados começou em 19 de outubro e, desde então, foram realizadas 14 sessões do julgamento.

Agencia Estado,

01 Março 2006 | 06h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.