Recomeça julgamento de Saddam por genocídio

O tribunal especial iraquiano retomou nesta terça-feira o julgamento do ex-presidente iraquiano Saddam Hussein e seis de seus colaboradores por acusações de genocídio e crimes contra ahumanidade envolvendo curdos no Iraque. A sessão é a quinta do caso al-Anfal, referente àcampanha de ataques maciços do Exército iraquiano entre 1987 e 1989 à comunidade curda no norte do Iraque. O tribunal ouviu na segunda-feira três testemunhas. Saddam voltou a proclamar na segunda-feira que continua sendo o presidente legítimo do Iraque. Segundo números anunciados no primeiro dia do julgamento pelo procurador-geral do Tribunal Penal Supremo, mais de 180 mil curdos foram assassinados ou desapareceram na operação al-Anfal. Saddam Hussein e seus colaboradores podem ser condenados à pena de morte se forem considerados culpados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.