Kyodo/Reuters
Kyodo/Reuters

Recomendada a retirada de 500 casas devido à erupção de vulcão no Japão

Recomendação afetará cerca de 1.100 moradores do local; Agência Meteorológica do Japão mantém nível 3 de alerta perante a erupção

Efe,

31 de janeiro de 2011 | 03h24

TÓQUIO - As autoridades japonesas recomendaram a evacuação de 500 casas próximas ao vulcão Shinmoe, no sudoeste do Japão, depois que este entrou em erupção na quinta-feira  passada pela primeira vez em 52 anos, informou nesta segunda-feira, 31, a agência Kyodo.

 

A recomendação afeta cerca de 1.100 moradores da localidade de Takaharu, na província de Miyazaki, e foi emitida depois que o Observatório Meteorológico regional advertiu de um aumento do nível de lava na área da cratera do vulcão, de 1.421 metros de altura.

A Agência Meteorológica do Japão mantém o nível 3 de alerta perante a erupção, pelo que se recomenda "não se aproximar" do vulcão embora sem chegar a ordenar uma evacuação.

 

Segundo imagens por satélite recolhidas pelo observatório regional de Kagoshima, o domo de lava na cratera do vulcão alcançava este sábado ao redor de 500 metros de diâmetro.

 

Isso levou a Agência Meteorológica a ampliar o alerta 3 a partir de um ráio de dois até três quilômetros ao redor da cratera, a distância à qual se calcula poderia chegar o material vulcânico.

O vulcão Shinmoe começou a cuspir cinzas e pequenas rochas na quarta-feira, e formou uma coluna de fumaça que alcançou mais de 2.500 metros, o que obrigou desde então a alterar alguns voos regionais e os serviços ferroviários da região.

 

É a primeira vez que o Shinmoe entra em erupção há mais de meio século e a primeira em 189 anos na qual expulsa magma, segundo a Agência Meteorológica.

Tudo o que sabemos sobre:
vulcão, Japão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.