'Reconciliação palestina é uma boa notícia', diz Sarkozy

Presidente francês diz que pacto entre facções exige que Israel retorne às negociações de paz

Associated Press

26 de maio de 2011 | 21h51

DEAUVILLE - O começo da reconciliação entre as facções palestinas "é uma boa notícia" que pede o retorno imediato de Israel à mesa das negociações de paz no Oriente Médio, disse nesta quinta-feira, 27, o presidente da França, Nicolas Sarkozy.

 

Veja também:

especialMapa: as fronteiras da guerra no Oriente Médio

 

Sarkozy destacou que Israel entrou em uma "contradição, pois durante anos disse que a paz não era possível porque os palestinos estava divididos e, agora que se aproximaram, diz que não conversará com eles porque estão muito próximos".

 

O discurso de Sarkozy faz referência ao primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que criticou o pacto de reconciliação entre o Fatah, que estava à frente das negociações de paz, e a facção radical Hamas. O premiê afirmou que não é possível retomar o diálogo com um governo que tenha o Hamas como membro, como deve ocorrer na formação da nova administração palestina.

 

O presidente francês ainda disse que enviará seu ministro de Exteriores, Alain Juppe, ao Oriente Médio pelos próximos dias para enviar uma mensagem de seu país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.