Redatores de Le Monde querem negociar tomada do controle pelo Prisa

Grupo espanhol é o principal candidato para capitalizar o jornal

Efe,

25 de abril de 2010 | 07h04

PARIS - A Sociedade de Redatores de Le Monde (SRM), principal acionista do grupo proprietário do jornal francês, querem negociar com o grupo espanhol Prisa as condições em que aceitariam a tomada de controle.

O Prisa é o principal candidato para liderar uma imprescindível capitalização do jornal.

"Le Journal du Dimanche" publicou neste domingo, 25, que o presidente da SRM, o jornalista Gilles van Kote, pediu uma entrevista com o presidente do Prisa, Juan Luis Cebrián, que deve acontecer nos próximos dez dias para fixar uma série de garantias em troca de que a editora de "El País" passe de seus 15% a uma participação de controle em "Le Monde".

Van Kote explicou que estão conscientes de que terão que adaptar-se a uma nova gestão na direção do grupo de imprensa francês e que seus direitos "não serão os mesmos de agora".

No entanto, o presidente da SRM disse que espera negociar algumas regras, e concretamente "que mecanismos poderão garantir a independência do grupo e (seus) valores".

Nestas últimas semanas, o Prisa aparece como o principal ator suscetível de liderar a capitalização de "Le Monde" que permita injetar entre 50 milhões e 100 milhões de euros que a empresa necessita para enfrentar sua dívida.

Tudo o que sabemos sobre:
Le Monde, redatores, Prisa, França

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.