REUTERS/Charles Platiau
REUTERS/Charles Platiau

Bandeira francesa consolando a belga é uma das imagens mais compartilhadas na web

Usuários do Twitter usam hashtags como #PrayForBelgium e #JeSuisBruxelles para prestar homenagens às vítimas dos ataques. Moradores da região e turistas escreveram mensagens de repúdio aos atos terroristas e pediram paz e solidariedade

O Estado de S. Paulo

22 de março de 2016 | 13h34

BRUXELAS - Os usuários das redes sociais se mobilizaram nesta terça-feira, 22, para expressar solidariedade aos belgas após os atentados de Bruxelas nos quais ao menos 34 pessoas morreram e mais de 170 ficaram feridas.

As hashtags #Brussels ("Bruxelas", em inglês), #PrayForBelgium ("Rezem pela Bélgica") e #JeSuisBruxelles ("Eu sou Bruxelas", em francês) se multiplicam pelo Twitter, onde a imagem mais compartilhada é a da bandeira francesa consolando a belga e com as datas dos atentados nas duas capitais - 13 de novembro e 22 de março -, obra do caricaturista francês Plantu.

Outras imagens muito compartilhadas nas redes são as de dois dos personagens belgas mais conhecidos no mundo todo. Uma delas é Tintín, o repórter criado por Hergé, que chora acompanhado de seu inseparável cachorro Milou. A outra é Manneken Pis, a pequena estátua que se tornou local de peregrinação para todo turista que passa por Bruxelas e que, desta vez, urina sobre uma arma Kalashnikov.

Mas as redes sociais não foram o único meio de comunicação usado pelas pessoas, que também expressaram o repúdio aos atentados em mensagens escritas no chão da praça da Bolsa de Bruxelas.

A dois passos da emblemática Grand Place de Bruxelas, centenas de habitantes da capital belga se reuniram para mostrar indignação com relação aos atentados com gizes coloridos e pediram paz, solidariedade e esperança.

Nas redes, as mensagens mais repetidas são "Be stronger" ("Sejam fortes", em inglês); "Pensées pour Bruxelles et toute a Belgique" ("Os melhores pensamentos para Bruxelas e Bélgica", em francês) e "Pray for our world" ("Rezem pelo nosso mundo", em inglês).

A maioria das mensagens postadas são acompanhadas pela bandeira belga, assim como por imagens de dor pelos atentados cometidos no aeroporto de Zaventem e na estação de metrô de Maelbeek. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.