Reebok recolhe pulseiras após criança morrer envenenada

A Reebok está recolhendo do mercado cerca de 300 mil braceletes infantis após uma criança de 4 anos de idade ingerir um pedaço da pulseira e morrer envenenada em Minnesota, EUA, disseram fontes do governo nesta quinta-feira. A criança engoliu um pingente em forma de coração que vinha incrustado na pulseira e tinha altos níveis de chumbo. "Eu quero garantir a todos os nossos consumidores e varejistas que farei tudo que estiver ao meu alcance para assegurar que nenhuma outra família, nenhuma outra criança, sofrerá uma tragédia similar", afirmou o CEO da Reebok Internacional, Paul Harrington. Ele acrescentou, em entrevista via fone à AP, que os braceletes eram manufaturados na China e que a Reebok investigará como as pulseiras chegaram ao mercado, mesmo com o risco causado pelo chumbo. "Estou conduzindo uma revisão total de nossos procedimentos", disse Harrington. Consumidores que possuem a pulseira devem mantê-la longe das crianças.

Agencia Estado,

23 Março 2006 | 20h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.