Refém norte-americano deixa a Chechênia

O norte-americano Kenneth Gluck, membro de uma missão de trabalhos humanitários na Chechênia, abriu nesta segunda-feira uma garrafa de champanhe com seus amigos depois de militares russos e agentes de segurança o terem retirado do turbulento território checheno, onde foi mantido como refém durante um mês.Steve Cornish, representante da Médicos Sem Fronteira - uma organização internacional de trabalhos humanitários -, informou que Gluck planejava ligar na noite de hoje para seus familiares. Ele foi levado de helicóptero a Nazran, capital da República da Ingushétia, que faz fronteira com a Chechênia.Ainda não se sabe quem seqüestrou Gluck, onde ele foi mantido cativo, o motivo, nem como ele foi libertado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.