Reféns americanos retomam navio do controle de piratas

Capitão de cargueiro, porém, continua sob custódia na costa da Somália

AP, AFP, Reuters e NYT WASHINGTON, O Estadao de S.Paulo

09 de abril de 2009 | 00h00

Uma tripulação de pelo menos 20 americanos retomou ontem o controle de um navio cargueiro sequestrado por piratas a 500 quilômetros da costa da Somália. O capitão do navio, porém, ainda estava sob custódia dos criminosos em um barco salva-vidas, segundo informou um dos tripulantes da embarcação."Eles querem manter nosso capitão para pedir resgate e estamos tentando trazê-lo de volta", disse o marinheiro Ken Quinn em entrevista, por telefone, à rede de TV CNN. Segundo ele, a tripulação conseguiu deter um dos piratas e tentou trocá-lo pelo capitão, mas depois acabou libertando o criminoso. "Estamos oferecendo comida agora, mas a negociação não está indo muito bem", afirmou o tripulante.O navio de bandeira americana Maersk Alabama, de propriedade da empresa dinamarquesa Moller-Maersk, levava ajuda humanitária para Mombasa, no Quênia, quando foi interceptado. Entre a carga da embarcação estavam 400 contêineres com comida e insumos materiais para agricultura, dos quais 232 eram do Programa Mundial de Alimentos da ONU.A Casa Branca disse que o presidente Barack Obama, que retornou ontem a Washington após uma viagem pela Europa e Oriente Médio, ainda estava analisando o incidente. O secretário de imprensa Robert Gibbs disse que o governo ainda não tinha decidido como proceder para resolver o impasse. A comandante Jane Campbell, porta-voz da 5ª Frota americana - com base no Bahrein -, disse que o assalto de ontem foi o primeiro ataque pirata que envolveu cidadãos americanos em "tempos recentes".O Pentágono afirmou ontem que ainda não estava claro como a tripulação conseguiu retomar o controle do navio. Segundo a porta-voz do Departamento de Defesa, tenente-coronel Elizabeth Hibner, pelo menos quatro piratas participaram do sequestro. Ela afirmou que um destroier da Marinha dos EUA estava a caminho da região.Só nos primeiros meses deste ano, oito navios foram sequestrados na região, que liga o Oceano Índico ao Mar Vermelho e é usada por navios que viajam entre a Europa e a Ásia. No ano passado, piratas tomaram o controle de dezenas de embarcações, conseguindo obter milhões de dólares em resgates.Cerca de 15 navios de várias bandeiras - incluindo 3 americanos - patrulham a área para ajudar a combater a pirataria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.