Reféns sul-coreanos estão vivos, diz Taliban

Os 21 reféns sul-coreanosmantidos no Afeganistão estão vivos, disse o Taliban naquarta-feira, enquanto as Forças Armadas advertiam moradorespara deixar as áreas próximas ao local em que estaria ocativeiro. O porta-voz do Taliban Qari Mohammad Yousuf afirmou que osreféns estão vivos, apesar de ter acabado o prazo dado pelossequestradores para matá-los se o governo afegão não libertasseinsurgentes presos. "Sim, eles estão vivos", disse Yousuf à Reuters portelefone. "Mas o perigo continua. É possível que eles sejammortos", disse, sem dar prazos. O governo afegão recusa-se a atender as exigências paralibertar os prisioneiros do Taliban, afirmando que isso sóincentivaria novos sequestros. Vinte e três voluntários religiosos sul-coreanos foramcapturados em um ônibus numa estrada ao sul de Cabul, quandoatravessavam a província de Ghazni, no mês passado. Desdeentão, dois voluntários coreanos foram mortos pelossequestradores, depois de as exigências feitas pelos captoresterem sido ignoradas. O Ministério da Defesa disse que helicópteros do Exércitolançaram folhetos em várias regiões da província advertindo osmoradores a procurar áreas mais seguras e evitar baixas civisdurante a operação que será iniciada "nas próximas semanas". Mas o ministério disse se tratar de uma operação de rotina,sem relação com o sequestro. Uma eventual operação de resgate será dificultada pelaestratégia do Taliban, que dividiu o grupo de reféns e os estámantendo em vários cativeiros diferentes. Dezoito dos voluntários são mulheres. O porta-voz doTaliban disse que os combatentes não detectaram nenhumaoperação de resgate, mas que observaram o aumento dosmovimentos militares na região. Os familiares dos reféns fizeram um apelo ao governonorte-americano para que intervenha no caso. Parlamentaressul-coreanos também fizeram um apelo conjunto aos EUA. O grupo foi enviado por uma igreja cristã em Seul paraprestar assistência humanitária no Afeganistão. REUTERS CP

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.