Referendo da Venezuela reforça democracia, diz Amorim

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversará, por telefone, com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que foi vitorioso no referendo realizado ontem no país e que confirmou a continuidade de seu mandato. O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, disse que o referendo reforça a democracia na América Latina. Segundo Amorim, que conversou com representantes da OEA e observadores em Caracas, o pleito ocorreu de maneira legítima, as indicações confirmaram os resultados parciais e o governo brasileiro está satisfeito, porque desde o início de 2003, quando o presidente Lula assumiu o governo, o Brasil participou da formação do Grupo de Amigos da Venezuela para facilitar o diálogo naquele país. Segundo Amorim, a participação do Brasil no episódio certamente ajudou a conduzir a Venezuela a uma situação positiva. Na avaliação do ministro, o importante é que tudo foi feito dentro de um processo democrático e transparente."O importante é que em qualquer eleição, ainda mais quando há uma forte divisão (entre governo e oposição) sempre haverá dúvidas e contestações?, disse. ?Mas as indicações que tivemos apontam que houve um resultado claro, com pleito de maneira absolutamente legítima. Evidentemente poderá haver dúvida. Isso é normal num processo eleitoral. Mas não vamos dramatizar isso. O importante é levar isso adiante, e que o povo da Venezuela seja capaz de encontrar caminhos da reconciliação, respeitando as diferenças", disse o ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.