Andrei Netto/Estadão
Andrei Netto/Estadão

Referendo na Crimeia começa com forte adesão de comunidade russa

Consulta vai definir se península separatista da Ucrânia será ou não anexada à Rússia de Vladimir Putin; resultado sai às 22h

Andrei Netto, Enviado Especial,

16 de março de 2014 | 09h43

Simferopol / Ucrânia - O referendo que vai definir se a Crimeia, península da Ucrânia, pedirá  anexação ao território da Rússia, tem forte adesão de eleitores provenientes da comunidade russa, mas não de ucranianos e tártaros - as duas minorias mais importantes da região. Às 14h30, horário local - 9h30 no Brasil - o fluxo de eleitores continuava forte, depois de ter se acelerado no final da manhã, quando a chuva que caía em Simferopol deu uma trégua.

Nos pontos de votação, o clima é tranquilo, sem ameaças ou tensão. Embora a organização seja precária, com fácil acesso de qualquer pessoa aos locais de votação, observadores internacionais com os quais o Estado conversou não viram irregularidades. Eles foram autorizados pelo governo provisório a ingressar na Crimeia, e todos consideram o referendo legítimo. "O processo eleitoral é normal, não há pressões", afirmou à reportagem o chinês Ge Zhili, vice-presidente da Fundação Chinesa para o Desenvolvimento dos Direitos Humanos.

Até porque ninguém saiu às ruas com as cores da Ucrânia. Predominam as bandeiras da Rússia e da Crimeia, que contrastam com o verde das fardas de militares e milicianos russos e cossacos que patrulham a capital.

Um milhão e meio de pessoas estão autorizadas a votar, mas se espera alta presença apenas de eleitores que votam pela Rússia, já que houve apelos a boicotes de parte das comunidades ucraniana e tártara. O resultado do referendo será conhecido às 22h, duas horas após o encerramento do pleito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.