Referendo no Sudão foi legítimo e transparente, dizem observadores

Centro Cartes, ONU e União Europeia elogiam votação pela independência do Sudão do Sul

Associated Press

17 de janeiro de 2011 | 08h34

JUBA - Um grupo de observadores internacionais e independentes liderados pelos ex-presidente dos EUA Jimmy Carter disse nesta segunda-feira, 17, que a votação do referendo de independência do Sudão do sul foi transparente e crível.

 

O Centro Carter elogiou os eleitores sudaneses pelo comprometimento e pela paciência na votação. As missões de observadores da Organização das Nações Unidas e da União Europeia (UE) também informaram que o processo foi pacífico e legítimo.

 

Mais de 4 mil observadores fiscalizaram a votação no Sudão do Sul, que tenta a independência do Norte para dividir o maior país da África. O referendo começou na semana passada e terminou no domingo.

 

A expectativa é que o sul, de ampla maioria cristã, escolha a independência do norte. O Centro Carter já anunciou que espera que o governo sudanês respeite a decisão da população do Sul.

Tudo o que sabemos sobre:
SudãoÁfricareferendoobservadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.