Reforço para Afeganistão deverá ocupar vilas liberadas

Os 30 mil militares americanos que serão enviados ao Afeganistão até meados do ano que vem serão posicionados em lugares estratégicos para reforçar as tropas britânicas, canadenses e holandesas, garantindo que os avanços militares sejam definitivos daqui para frente.A chegada do primeiro contingente, de 3 mil homens, é esperada para janeiro, na capital, Cabul. Os militares que vierem em seguida, serão enviados para o sul do país.Com o reforço, os americanos esperam repetir operações como a realizada em Garmsir, no sul do Afeganistão, onde o Exército da Grã-Bretanha expulsou um grupo de militantes taleban contando com a ação de 17 britânicos, 10 estonianos e 200 afegãos.Dois anos depois da operação, o governo ainda disputava o controle da região com grupos rebeldes, provocando a fuga de milhares de pessoas. O controle definitivo da área só foi conseguido em abril, com a chegada de um reforço de 2 mil fuzileiros navais americanos.Garmsir é um exemplo dos resultados que podem ser obtidos com o apoio das tropas adicionais americanas, segundo funcionários da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).Ainda ontem, o vice-presidente americano, Dick Cheney, disse duvidar que o fundador e líder do grupo terrorista Al-Qaeda, o saudita Osama bin Laden ainda esteja vivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.