Reforma constitucional é aprovada no Egito

Os eleitores egípcios aprovaram em referendo as mudanças na Constituição do país, abrindo o caminho para que sejam realizadas eleições gerais nos próximos meses, de acordo com o resultado final do referendo feito ontem. A participação do eleitorado foi baixa: apenas 41% dos 45 milhões eleitores compareceram às urnas, informou hoje Ahmed Attiya, chefe da Comissão Eleitoral do Egito. Segundo os resultados, mais de 14 milhões de egípcios (77,2% dos eleitorado que compareceu) votaram a favor, enquanto cerca de 4 milhões (22,8%) votaram contra.

AE, Agência Estado

20 de março de 2011 | 18h40

Muitos eleitores foram levados às urnas em massa na última hora, após um esforço feito por ativistas da Irmandade Muçulmana. Entre os eleitores que votaram contra estão os cristãos coptas, que formam 10% da população egípcia. Os coptas temem o poder crescente da Irmandade Muçulmana.

Partidários do ex-diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Mohammed ElBaradei, afirmaram que foram atacados no Cairo ontem, por um grupo que jogou garrafas vazias e pedras. O ataque ocorreu na frente de uma zona eleitoral no bairro cairota de Mokattam. Os partidários de ElBaradei foram acusados pelo agressores de serem partidários do antigo regime, de Hosni Mubarak, que caiu em 11 de fevereiro.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitoreferendoreforma constitucional

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.