Reforma constitucional fortalece premiê turco

Carta de 1982, redigida sob governo militar, ganha 26 emendas, amplia liberdades e antecipa debate eleitoral

, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2010 | 00h00

Com 99% das urnas apuradas, os meios de comunicação da Turquia já davam como aprovada ontem, com 58% de apoio, uma reforma constitucional que incorpora 26 novas emendas destinadas a ampliar as liberdades individuais, de organização sindical e da infância e da adolescência, além de alterar o formato e a regra de nomeação dos membros da Corte Constitucional e da Suprema Corte de Justiça da Turquia.

A reforma é vista como uma vitória importante do atual premiê Tayyip Erdogan, que sai fortalecido para enfrentar as eleições gerais dentro de dois anos. A Constituição turca foi redigida em 1982, sob governo militar, e espera-se que sua reforma amplie as recentes conquistas democráticas. Mas os dois principais partidos de oposição a Erdogan - o Partido da Ação Nacionalista e o Partido do Povo Republicano - dizem que as novas emendas fortaleceram o poder do atual governo de hoje até a eleição de julho de 2011.

Apesar da ampla aceitação popular das reformas, analistas dizem que as tensões devem crescer nos próximos meses. "Isso não tornará as coisas mais fáceis para a Turquia, fará com que as tensões aumentem. O partido governista ficará ainda menos receptivo à oposição e os opositores usarão abordagens cada vez mais duras para minar o governo", disse Faruk Logoglu, ex- embaixador da Turquia nos EUA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.