Reforma da saúde dos EUA deve ficar para setembro

Um membro importante da bancada republicana na Câmara dos Representantes informou aos assessores do partido que a Casa vai adiar a votação do projeto de reforma do sistema de saúde dos EUA pelo menos até setembro.

AE-DOW JONES, Agencia Estado

29 de julho de 2009 | 03h20

Segundo um assessor, a equipe que trabalha com a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, disse aos auxiliares do líder dos republicanos, John Boehner, que a Casa não terá votação sobre o pacote para o setor de saúde durante o recesso de agosto. Os republicanos não elaboram a pauta da Câmara e o prazo de votação depende de Pelosi. Mas o relato das conversas entre os assessores é a mais forte indicação de que os deputados democratas vão sair para o recesso de agosto sem votar o projeto.

Pelosi, outros líderes democratas e a Casa Branca tentam chegar a um acordo com os "Blue Dogs" ("cachorros azuis", em referência à cor do partido), um grupo conservador dissidente do partido. O presidente Barack Obama vem insistindo na necessidade de aprovação urgente do pacote, a fim de ampliar a cobertura do sistema de saúde e atender cerca de 50 milhões de norte-americanos que não contam com seguro saúde. Os "Blue Dogs", porém, temem o impacto da reforma sobre o déficit fiscal dos EUA.

As conversas entre os assessores dos deputados ocorreram após uma série de reuniões a portas fechadas, nesta terça-feira, nas quais os líderes da Câmara tentaram chegar a um acordo para pelo menos aprovar o projeto na Comissão de Energia e Comércio antes do recesso. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAreformasaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.