Remy de la Manuviere/AP
Remy de la Manuviere/AP

Reforma vai salvar déficit na previdência francesa, diz Sarkozy

Presidente promulga lei que gerou protestos por todo país; oposição critica a medida

Efe,

10 de novembro de 2010 | 12h12

PARIS - O presidente da França, Nicolas Sarkozy, ressaltou nesta quarta-feira, 10, que a reforma da Previdência, que eleva em dois anos a idade de aposentadoria poderá salvar o sistema de seguro social do país. Assim, segundo o presidente, os franceses poderão continuar contando com suas aposentadorias.

Veja também:

mais imagens Galeria de fotos: Protestos na França

lista Entenda: Reforma na previdência motiva greve

documento Gilles Lapouge: A revolta dos jovens

especialEspecial: Veja o histórico de manifestações na França

"Com esta lei salvamos o regime de pensões", ressaltou Sarkozy em uma declaração pública durante o Conselho de Ministros.

"Estou plenamente consciente de que se trata de uma reforma difícil. Mas sempre considerei que meu dever, e o dever do governo, era realizá-la", disse Sarkozy.

Em entrevista à emissora "France Culture", a secretária-geral dos Partido Socialista, Martine Aubry, acusou o presidente de tentar aprovar a lei com brutalidade e de não escutar ninguém. O porta-voz do Partido Socialista, Benoît Hamon, advertiu que a reforma promulgada ou não, não é aceita pelos franceses.

A lei, que pretende equilibrar o sistema - agora deficitário -, no horizonte de 2018, aumenta a idade de aposentadoria voluntária de 60 para 62 anos e de 65 para 67 anos e para pedir a aposentadoria completa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.