Refrigerante islâmico chega às lojas árabes de Israel

A Mecca-Cola, um refrigerante batizado em homenagem à cidade mais sagrada do Islã, está à venda nas lojas árabes de Israel. Parte dos lucros com a bebida é destinada a projetos de bem-estar social em prol dos palestinos e, indiretamente, vai contra o governo israelense. Apesar de o inventor da Mecca-Cola ter dito que seu objetivo é mobilizar os consumidores contra Israel - nome que ele até hesita ao pronunciar -, o distribuidor do local do produto pretende viabilizar sua entrada no mercado judeu.A Mecca-Cola chegou às prateleiras francesas em novembro de 2002, negociada pelo empreendedor tunisiano Tawfik Mathlouthi, que disse ter criado o refrigerante para angariar fundos para projetos de bem-estar social em favor dos palestinos. Em conversa por telefone, Mathlouthi disse de Paris que tem a esperança de ver a mensagem de seu produto ajudando a mobilizar a opinião pública contra o primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon."Para mim, soa lógico vender Mecca-Cola na entidade sionista (Israel) e nos Estados Unidos", disse ele à Associated Press. "Quero sacudir a consciência dos judeus sobre Sharon e seu governo, ambos criminosos de guerra." O site da Mecca-Cola mostra fotografias de crianças palestinas atirando pedras contra tanques israelenses e sendo detidas por soldados. O slogan é "Remexa sua consciência. Beba com compromisso."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.