Refugiados afegãos começam a voltar para casa

Mais de 2 milhões de refugiados afegãos já voltaram ao país depois da queda do regime do Taleban. A informação é das Nações Unidas, que lembra que outros 4 milhões de refugiados continuam fora do Afeganistão, principalmente no Irã. A saída de afegãos começou ainda com a invasão soviética ao Afeganistão no final da década de 70. Muitos que deixaram o país naquela época nunca voltaram. A segunda onda de refugiados ocorreu depois que o regime do Taleban tomou o poder, em 1997, e impôs suas leis. Finalmente, a onda mais recente de refugiados foi gerada com os ataques dos Estados Unidos à Cabul e outras cidades afegãs. Segundo a ONU, a tendência que predominou no Afeganistão nas últimas décadas, e que gerou a maior população de refugiados do mundo, parece começar a mudar, apesar da falta de segurança em algumas regiões do país. Para incentivar a volta dos refugiados, a ONU está identificando profissionais afegãos espalhados pelo mundo e financiando seus retornos às cidades de origem. "A idéia é trazer pessoas qualificadas para a reconstrução do Afeganistão", afirma um porta-voz. Por enquanto, cerca de 300 profissionais já voltaram ao Afeganistão, vindos de 18 diferentes países pelo programa da ONU, entre eles o vice-presidente afegão e o ministro do Interior, além dos vice-ministros da Justiça, da Cultura e da Informação. Na avaliação da ONU, nos próximos meses outros 5 mil profissionais devem voltar para reconstruir o país devastado por mais de vinte anos de conflitos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.