Refugiados da Síria na Turquia sobem para 100 mil desde quinta-feira

Refugiados da Síria na Turquia sobem para 100 mil desde quinta-feira

Sírios fogem da ofensiva promovida pelo Estado Islâmico, que levou o conflito para muito perto da fronteira

ASSOCIATED PRESS

21 de setembro de 2014 | 17h40


Kucuk Kendirciler, Turquia - O número de refugiados sírios na Turquia alcançou a marca de 100 mil pessoas desde quinta-feira. Essas pessoas estão fugindo da ofensiva promovida pelo Estado Islâmico, que levou o conflito para muito perto da fronteira.

Neste domingo, foram registrados fortes embates entre militantes do Estado Islâmico e soldados curdos a apenas alguns quilômetros da cidade fronteiriça de Kobani. Nasser Haj Mansour, um oficial das forças de defesa na região curda da Síria, disse que membros de um grupo da Al-Qaeda estavam bombardeando os moradores com tanques, artilharia e lançadores de foguetes. "Eles estão até mirando em civis que estão fugindo", disse à Associated Press.

Com o grande fluxo de refugiados, a Turquia fechou a passagem fronteiriça em Kucuk Kendirciler para os curdos da Turquia. Essa medida tem como objetivo garantir a segurança dessas pessoas ao impedir que elas se juntem à luta contra o Estado Islâmico na Síria. Segundo o Observatório Sírio por Direitos Humanos, um dia antes centenas de curdos entraram na Síria por essa pequena vila.

Mesmo assim, curdos tentaram atravessar a fronteira da Turquia para a Síria, e entraram em conflito com as forças de segurança, que responderam com gás lacrimogêneo, balas de tinta e canhões de água.

Apesar desse grande influxo de refugiados da Síria na Turquia, as autoridades turcas garantem que estão prontas para lidar com a situação. O conflito já levou mais de um milhão de sírios a cruzarem as fronteiras nos últimos três anos e meio. "Nós estamos preparados para isso. Nós também estamos preparados para o pior", disse Dogan Eskinat, porta-voz para a agência de gerenciamento de desastres da Turquia. 

O Observatório Sírio por Direitos Humanos acrescentou que o grupo Estado Islâmico tomou o controle de 64 vilas no norte da Síria desde os confrontos de quarta-feira. O observatório ainda disse que o destino dos 800 curtos dessas vilas é desconhecido, e que há pelo menos 11 civis executados, incluindo dois meninos.

Mais conteúdo sobre:
SíriaTurquiaInternacional

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.