Yiorgos Baboukos/InTime News via AP
Yiorgos Baboukos/InTime News via AP

Refugiados entram em confronto com autoridades Gregas para evitar mudança

Centenas de imigrantes que aguardam definição sobre pedidos de asilo no porto de Pireu se recusaram nesta quarta-feira a serem transferidos para centros de acolhimento oficiais

O Estado de S. Paulo

06 Abril 2016 | 15h50

ATENAS - Vários grupos de refugiados entraram em confronto nesta quarta-feira, 6, com as autoridades do porto do Pireu, na Grécia, quando representantes do governo informaram que deveriam abandonar o acampamento improvisado e permitir sua mudança a centros organizados.

Imagens divulgadas por portais de notícias gregos mostram um homem sacudindo seu bebê de poucos meses e ameaçando atirá-lo contra os integrantes da guarda costeira. Isso ocorreu após os agentes tentarem impedir que ele danificasse um veículo estacionado.

Em comunicado, a guarda costeira grega minimizou a importância desses incidentes, que terminaram sem grandes danos, mas qualificou de "inaceitável, imprudente e insensível" o comportamento do homem em relação a um ser "inocente" como um bebê.

"A imagem surpreendeu milhares de espectadores", afirmou a guarda costeira, que decidiu abrir uma investigação contra o autor do incidente.

Os esforços dos representantes governamentais terminou sem sucesso, pois quase ninguém aceitou ser deslocado a outros centros, apesar do porto do Pireu estar próximo do colapso por contar com 4.720 pessoas amontoadas em um acampamento improvisado.

O mesmo ocorre no segundo acampamento irregular na Grécia, situado no vilarejo de Idomeni - na fronteira com a Macedônia -, onde estão 11.269 pessoas, segundo os dados oficiais publicados nesta quarta-feira.

Ao todo, 53.042 migrantes e refugiados estão atualmente nos diferentes centros de amparo distribuídos por toda a Grécia. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Grécia Pireu imigrantes confronto

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.