Refugiados são vendidos na Tailândia a traficantes humanos

Vítimas pertencem a minoria étnica muçulmana perseguida em Mianmar.

BBC Brasil, BBC

21 de janeiro de 2013 | 11h03

Uma investigação realizada pela BBC revelou que militares da Tailândia têm vendido refugiados que chegam de Mianmar para traficantes humanos.

Milhares de muçulmanos da etnia rohingya vem abandonando Mianmar, devido à violência da qual são vítimas em seu país natal.

Mas ao chegarem à Tailândia, eles acabam sendo interceptados pela Marinha e a polícia do país, que, em seguida, os negocia no mercado clandestino do tráfico humano.

O governo da Tailândia disse que as denúncias são graves e que irá investigá-las a fundo.

Um dos refugiados, que se identificou apenas como Ahmed, contou à BBC que deixou para trás sua mulher e oito filhos para tentar uma vida melhor na Tailândia.

Após viajar por 13 dias em um frágil barco de madeira, ele, juntamente com outras 60 pessoas, foram pegos pelas autoridades tailandesas.

Ele julgou que seu sofrimento havia acabado, mas seu calvário estava apenas começando.

Ahmed conta ter sido vendido para traficantes que o mantiveram preso em um campo, juntamente com outros refugiados, no sul da Tailândia.

Ele era espancado diariamente e teve de arcar com o equivalente a R$ 2 mil para ser colocado em liberdade. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.