Refugiados se recusam a deixar igreja na França

Cerca de 90 imigrantes, a maioria curdos iraquianos, recusaram-se hoje a deixar a igreja católica de São Pedro e São Paulo em Calais (norte da França), na qual se refugiaram sábado, apesar do fim do ultimato dado pelas autoridades francesas. Alguns dos imigrantes ameaçaram cometer suicídio. "Não queremos sair e, se a polícia entrar, lutaremos", disse um jovem curdo. Os iraquianos decidiram ficar na igreja em solidariedade aos afegãos que temem ser deportados. Os imigrantes afirmam que não têm para onde ir desde que um abrigo da Cruz Vermelha, localizado próximo a Calais, foi fechado para novas admissões. A Grã-Bretanha e a França prometem fechar de vez o centro de refugiados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.