Refugiados sírios aguardam na fronteira com Turquia

Centenas pretendem fugir do país se Exército avançar mais em direção à fronteira

BBC Brasil, BBC

13 de junho de 2011 | 10h09

Milhares de sírios estão em campos de refugiados na fronteira turca

 

 

Centenas de sírios estão reunidos na fronteira norte do país, próximos da Turquia, se preparando para cruzar para o país vizinho se o Exército avançar ainda mais na região, depois da tomada da cidade de Jisr al-Shughour.

 

Veja também:

link Premiê da Turquia diz que tropas sírias agem com 'selvageria'

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

Fontes militares da Síria informaram à BBC que o Exército planeja entrar na cidade próxima de Maarat al-Numan e acrescentaram que os militares estão perseguindo homens armados que escaparam da ofensiva do final de semana. Segundo a imprensa oficial ocorreram confrontos violentos na área.

A ONU informou que mais de 5 mil refugiados sírios já estão na Turquia.

Segundo o correspondente da BBC Owen Bennett-Jones, que está do lado turco da fronteira com a síria, centenas de outros refugiados estão aguardando do lado sírio para cruzar a fronteira, muitos dormindo em seus carros, outros acompanhados de seus animais de criação, como ovelhas e gado.

Alguns aguardam o próximo avanço do Exército para cruzar a fronteira ou a chegada de familiares.

 

Bombardeio

Ativistas de ONGs disseram que o Exército lançou bombas sobre Jisr al-Shughour na manhã de domingo. Helicópteros foram vistos sobre a cidade.

Mas, falando à BBC, um general do Exército sírio negou o bombardeio e acrescentou que os soldados estavam apenas atrás dos responsáveis pelas mortes de membros das forças de segurança no começo da semana.

O Exército agora tem o controle da região.

Um correspondente do serviço árabe da BBC que está junto com os militares sírios afirmou que tanques e veículos blindados tomaram pontos dentro da cidade. Há marcas de combates em prédios de Jisr al-Shughour; campos de trigo foram queimados.

A imprensa oficial síria informou que apenas dois "membros armados de gangues terroristas" foram mortos na ofensiva; segundo o Exército, um soldado foi morto e quatro ficaram feridos.

Um porta-voz militar disse ao correspondente da BBC que uma operação militar foi montada para capturar os homens armados que fugiram de Jisr al-Shughour para Maarat al-Numan.

Acesso

Autoridades dos Estados Unidos afirmam que a operação militar na Síria criou uma crise humanitária e pediram que o Comitê Internacional da Cruz Vermelha tenha acesso ao país.

"Ninguém sabe o alcance real do problema e esta é uma questão importante, pois (o governo sírio) não nos permite saber o tamanho do problema para então tomar providências", disse o porta-voz da Cruz Vermelha Hicham Hassan à BBC.

No lado turco da fronteira, dois campos já estão lotados de refugiados e um terceiro está sendo tomado rapidamente.

"A situação é difícil. As pessoas foram obrigadas a fugir com poucos objetos. Estamos contando com as autoridades turcas para tudo", disse à BBC um dos refugiados que estão na região de fronteira e se identificou apenas pelo nome de Mohammed.

"Ninguém sabe quando será seguro voltar para nossas casas. Quanto voltarmos, as pessoas acham que vão encontrar as casas destruídas e corpos não enterrados."

Os protestos contra o presidente Bashar al-Assad, que em 2000 substituiu seu pai, Hafez, no cargo, começaram no meio do mês de março e se espalharam pelo país.

Grupos de defesa dos direitos humanos afirmam que mais de 1,2 mil pessoas foram mortas na repressão aos protestos no país desde então. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.