Refugiados usbeques voltam para o Quirguistão, mas não têm abrigo

Segundo a ONU, diversos refugiados usbeques voltaram para o Quirguistão por pressão das autoridades

Reuters

25 de junho de 2010 | 11h20

GENEBRA - Quase todos os 100 mil refugiados que fugiram do conflito do Quirguistão já retornaram do Usbequistão, mas muitos deles estão desabrigados já que suas casas foram destruídas, disseram agências de ajuda da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta sexta-feira, 25.

 

A agência de refugiados da ONU expressou sua preocupação de que alguns usbeques foram pressionados por autoridades locais para voltar antes de um referendo que acontecerá no domingo, mas não conseguiu dizer o quão amplo era o problema. A agência se recusou a descrever a natureza da pressão.

 

Pelo menos 100.000 pessoas, a maioria de etnia usbeque, cruzaram a fronteira no Usbequistão depois de conflitos étnicos no sul do Quirguistão que mataram mais de 250 pessoas duas semanas atrás. "Estão voltando rapidamente, claramente a vasta maioria retorna", disse o porta-voz da agência, Adrian Edwards.

 

"Não significa de maneira nenhuma que a situação de emergência está acabada", disse Elisabeth Byrs, porta-voz da ONU para direitos humanos. "Todas essas pessoas têm necessidades importantes - alimentos, higiene, abrigo, remédios - todos os itens que você necessita quando deixa tudo para trás, quando sua casa é destruída e você já não possui nada, e alguns membros de sua família estão desaparecidos", acrescentou. "É uma situação triste".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.