Região central da Europa continua a sofrer com enchentes

O nível das águas do rio Elba subiu nesta quinta-feira na cidade alemã de Dresden, leste do país. O centro histórico não foi afetado, mas grandes áreas do centro da capital da Saxônia ficaram debaixo d''água.

Agência Estado

06 Junho 2013 | 12h38

Moradores e equipes de emergência trabalharam durante toda a noite para combater as enchentes na cidade. O Exército alemão e o grupo nacional para desastres enviaram mais ajuda para reforçar diques e margens de rios com sacos de areia na tentativa de conter as enchentes, que já mataram 16 pessoas desde a semana passada.

O Elba atingiu 8,76 metros por volta do meio-dia desta quinta-feira, muito acima de seu nível normal, que é de 2 metros. Ainda assim, as águas não chegaram a atingir o prédio da ópera, a catedral e outros edifícios do centro histórico, que ficou devastado com a enchente de 2002.

A Alemanha tem 60 mil integrantes de equipes de emergência, além de 25 mil funcionários federais e 16 mil soldados trabalhando no combate aos efeitos das enchentes.

Na cidade de Lauenburg, ao sul de Hamburgo, os moradores de 150 casas ao longo do Elba foram retirados, informou a emissora n-tv, enquanto as águas tomam a direção do Mar do Norte.

No sul, a cidade de Deggendorf, na Baviera, registrou a quebra do terceiro dique nesta quinta-feira. Várias casas continuam debaixo d''água e as autoridades disseram que uma outra barragem ainda corre o risco de rompimento.

"É indescritivelmente ruim", disse o governador da Baviera, Horst Seehofer, durante visita à região. "Não tem comparação."

Na cidade de Bitterfeld, Estado da Saxônia-Anhalt, a tentativa de explodir outro dique para reduzir o nível das águas que ameaçavam a cidade, no rio Mulde, não foi bem sucedida.

Cerca de 30 mil moradores de Halle, que fica nas proximidades, receberam ordens para deixar suas casas, já que o rio

Saale atingiu seu nível mais alto em 400 anos.

Na República Checa, bombeiros disseram que cerca de 700 vilas e cidades foram atingidas pelas enchentes nos últimos dias e cerca de 25.500 pessoas foram transferidas. No norte do país, as águas do Elba atingiram seu nível mais alto durante a noite e começaram a recuar nesta quinta-feira.

Em Bratislava, capital da Eslováquia, o Danúbio continuava a subir, acima dos níveis recorde registrados na quarta-feira, mas as autoridades disseram que as barreiras protetoras estavam funcionando.

Até o momento, as enchentes mataram oito pessoas na República Checa, cinco na Alemanha, duas na Áustria e uma na Eslováquia. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EuropaenchentesDanúbioElba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.