Região da Ásia-Pacífico ainda pode atingir metas de Desenvolvimento da ONU

A região está à frente da América Latina e da África Subsaariana na tentativa de reduzir os índices de pobreza

EFE

08 de outubro de 2007 | 04h28

A região da Ásia-Pacífico ainda pode atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) da ONU para 2015, anunciou nesta segunda-feira o Banco Asiático de Desenvolvimento (BAD). A região está à frente da América Latina e da África Subsaariana na tentativa de reduzir pela metade os índices de pobreza e conseguir o acesso universal à educação e à igualdade de gênero antes de 2015, segundo o último relatório da instituição multilateral. Assim, os analistas prevêem que nos próximos sete anos, 196 milhões de pessoas - entre elas 23 milhões crianças - terão deixado de ser pobres na região, destacou Shiladitya Chatterjee, especialista em Pobreza do BAD. No entanto, a organização também alertou sobre certas desigualdades no progresso de alguns países em relação a outros e a persistência de alguns graves problemas, fundamentalmente a mortalidade infantil, a nutrição, o planejamento familiar e os serviços sanitários. A Ásia-Pacífico ainda tem uma taxa de mortalidade infantil de 300 mortes para cada 100 mil nascimentos, mais do dobro que a da região do Caribe, segundo dados do BAD, com sede em Manila. Outros desafios são frear a erosão do solo, melhorar a qualidade de água e a gestão das inundações e reduzir os níveis de poluição nas áreas urbanas, acrescentou o estudo.

Tudo o que sabemos sobre:
onudesenvolvimentodesigualdades

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.