Região foi a mais perigosa para jornalistas este ano

A região mais perigosa para os jornalistas em 2010 foi a América Latina. Dados da ONG Campanha para um Emblema de Imprensa revelaram ontem que 35 dos 105 assassinatos de jornalistas no ano ocorreram em países latino-americanos. No Brasil, a entidade registrou quatro assassinatos este ano, o que coloca o País no sétimo lugar entre os mais perigoso para jornalistas em todo o mundo. O México vem na primeira posição, com 14 assassinatos, dividindo a liderança de 2010 com o Paquistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.